Minha foto
O SENTINELA - Nos adicione em https://www.facebook.com/sentinela.brasil

Seguidores

O projeto Excelências traz informações sobre todos os parlamentares em exercício nas Casas legislativas das esferas federal e estadual, e mais os membros das Câmaras Municipais das capitais brasileiras, num total de 2368 políticos. Os dados são extraídos de fontes públicas (as próprias Casas legislativas, o Tribunal Superior Eleitoral, tribunais estaduais e superiores, tribunais de contas e outras) e de outros projetos mantidos pela Transparência Brasil, como o (financiamento eleitoral) e o (noticiário sobre corrupção).

O projeto disponibiliza espaço para que os políticos retratados apresentem argumentos ou justificativas referentes a informações divulgados no projeto, como noticiário que os envolva, ocorrências na Justiça e Tribunais de Contas, informações patrimoniais e outras. Para providenciar o registro de algum eventual comentário, solicita-se que o político entre em contacto com a Transparência Brasil.

terça-feira, 11 de setembro de 2012

STM mantém condenação de sargento que abusou de menor



Em casos de crimes sexuais, a palavra da vítima é de fundamental importância. Foi observando esta jurisprudência do Supremo Tribunal Federal que o Superior Tribunal Militar manteve, por unanimidade, a condenação de um sargento do Exército a dois anos de prisão, por atentado violento ao pudor praticado contra uma menor de idade.

A defesa do sargento havia entrado com recurso alegando insuficiência de provas para a condenação. Mas o relator do caso, ministro Artur Vidigal, asseverou a importância que tem o relato da vítima nestes casos. Ele afirmou também que há outras provas que corroboram a versão da civil, como o laudo do exame de corpo delito, as declarações da psicóloga que acompanhou a vítima e os depoimentos de outras testemunhas.


O crime ocorreu no Rio de Janeiro, em 2008, quando a vítima jogava futebol com as amigas na rua ao lado da 5ª Divisão de Levantamento do Exército. A denúncia conta que a bola caiu dentro da unidade militar e que a menina foi ao quartel pedir para que os militares a recuperassem. O réu acompanhou a vítima até a garagem e, quando chegaram ao local, empurrou-a, atacando a garota com toques e beijos violentos.
Artur Vidigal ressaltou que o crime cometido pelo militar “não atinge apenas a liberdade da atividade sexual da vítima, mas também bens militares tutelados, como as relações de convivência e confiança que devem existir entre as Forças Armadas e todos os cidadãos”. O relator também lamentou não poder aumentar a pena do sargento, pois o recurso partiu da defesa: “concluo ao analisar as circunstâncias do crime, como a sua gravidade e a intensidade do dolo e a extensão do dano que a conduta provocou, que a pena foi benéfica ao acusado”. Com informações da assessoria de imprensa do STM
Conjur

Nenhum comentário:


I made this widget at MyFlashFetish.com.

Ultimas Postagens

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...